Introdução

Primeiramente vamos considerar que o termo UX ou User Experience, já virou um buzzword, sendo citado comumente por pessoas que não sabem o que ele realmente significa ou que não tem um estudo da arte e ciência do design suficiente para entender toda a sua extensão:

I invented the term because I thought human interface and usability were too narrow. I wanted to cover all aspects of the person’s experience with the system including industrial design graphics, the interface, the physical interaction and the manual. Since then the term has spread widely, so much so that it is starting to lose its meaning.
Donald Norman

Este termo foi criado nos primórdios da década de 1990 e hoje é usado em várias situações e embora não existe uma uma definição clara e precisa do que seja, podemos dizer que: UX, engloba todos os aspectos da interação do usuário com a companhia, seus serviços e seus produtos.

Para quê serve UX ?

The goal of UX design in business is to “improve customer satisfaction and loyalty through the utility, ease of use, and pleasure provided in the interaction with a product.”
UX Curve: A method for evaluating long-term user experience

UX não é relacionado com design de UI ou usabilidade, mas engloba estes dois conceitos, entre muitos outros, e tenta criar uma experiência positiva no usuário em todos os pontos em que este interage com um produto/empresa/serviço.

Isto pode ser realizado de várias formas que vai desde o treinamento das pessoas que irão interagir com o público até quanto ao design gráfico e usabilidade de um produto.

Um exemplo bem sucedido de UX?

O exemplo mais óbvio que podemos citar é a Apple. Com a Apple/iPhone vemos toda uma preocupação estética e formal com todas as interações do cliente com a empresa/produto e tentando criar uma experiência unificada, coesa e positiva. A execução foi tão bem sucedida que conseguiu criar uma multidão de pessoas cativadas com a “visão” da Apple.

Lojas Apple

Lojas Apple

No design das lojas da Apple é claro o intuito de criar uma experiência de amplidão, transparência, modernidade. Nenhuma outra empresa conseguiu ou se preocupou em criar uma experiência do usuário tão característica e bem sucedida quanto a Apple.

Obviamente, nem todas as pessoas experienciam a mesma coisa ao entrar em contato com algo, mas o Designer de UX tenta controlar esta experiência eliminando as partes negativas e acentuando as partes positivas.

Qual a relevância do UX ?

Ao nos lembrar que qualquer produto ou serviço será utilizado por um ser humano que terá uma experiência pessoal, o UX nos força a pensar como será esta experiência e o que podemos fazer para melhorá-la. Para o UX a felicidade do usuário é importante e crucial para o sucesso ou fracasso de qualquer empresa, serviço ou produto.

Assim, UX não é UI, Usabilidade ou uma tecnologia que possa se empregada. Tampouco é função de uma pessoa isolada, ou um processo que pode ser aplicado. Louis Rosenfeld, publisher de Rosenfeld Media, diz que UX é “At best, it’s a common awareness, a thread that ties together people from different disciplines who care about good design, and who realize that today’s increasingly complex design challenges require the synthesis of different varieties of design expertise.

UX não é uma ação que possa ser feito somente por um designer ou pelo marketing, mas necessita permear todo o processo de design e desenvolvimento e ser um esforço contínuo de toda as equipes.

Conclusão

UX não é um assunto fácil de ser abordado, mas é de suma importância no sucesso de qualquer serviço/produto que seja desenvolvido. Ao colocar o ser humano como peça central do processo, humanizamos a interação homem-máquina, tornando-a cada vez mais uma experiência humana e positiva para as pessoas que a utilizam.

Busque Mais

♦ 16 Must-Read Articles for the UX Newbie

♦ Designing features using job stories

♦ How great leaders inspire action

♦ Learning UX

♦ Louis Rosenfeld

♦ Merholz, Peter (2007). “Peter in Conversation with Don Norman About UX & Innovation”. Adaptive Path.

♦ UX Curve: A method for evaluating long-term user experience

♦ Rosenfeld Media

♦ The Do’s and Don’ts of Building HTML5 Hybrid Apps

Referências das imagens

♦ Imagem 01, Imagem 06 e Imagem 12
♦ Imagem 02
♦ Imagem 03
♦ Imagem 04
♦ Imagem 05
♦ Imagem 07
♦ Imagem 08
♦ Imagem 09
♦ Imagem 10
♦ Imagem 11


1 comentário

Os princípios de UX para apps e recursos mobile – Nostrum Consultoria e Projetos · 6 de julho de 2017 às 14:26

[…] Cognitio feito pelo Luis Henriques, vocês já entenderam o que é User Experience. Nesse artigo vamos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *